segunda-feira, 22 de setembro de 2014

As Zonas de Poder da O.T.O.




É inevitável que durante o processo da evolução de uma corrente, certos aspectos considerados obsoletos, não-práticos ou errôneos, têm de ser rejeitados a favor de meios mais eficientes. Isso se aplica com particular irrefutabilidade na esfera da iniciação mágica como desenvolvida na O.T.O., sobre a qual é aqui necessário dizer algumas palavras.

O sistema de iniciação empregado pela O.T.O. na época em que Crowley fora o líder era baseada em uma estrutura maçônica. Crowley não alterou a estrutura da Ordem embora ele tenha revisado os rituais dos Graus mais baixos após ter sido acusado de infringir os direitos da maçonaria ortodoxa.

Desde aqueles dias (1915), todo o sistema de Lojas e de Trabalhos Rituais foi completamente abandonado. Ele era manifestadamente difícil de se manejar e – devido a seu âmbito internacional cada vez mais crescente – se tornou impraticável para os membros se encontrarem em uma hora e local para propósitos de trabalho mágico. Mas acima de tudo, a estrutura maçônica não mais se harmoniza com a consciência e atitude do Novo Aeon. Em outras palavras, a fórmula maçônica está completamente fora de seu tempo e não mais representa o ‘Projeto Universal’ da realização mística e mágica.

Até 1945 Crowley tinha tão certamente sentido a tendência futurista que ele escrevera em seu diário que a estrutura da O.T.O. teria de ser submetida a mudanças fundamentais.

Cerimoniais elaborados e o estabelecimento de Lojas fixas em localidades especificas seriam substituídas por uma rede fluída e extensa constituída por zonas de poder Thelêmicas. Estas zonas de poder formam uma rede de grupos ocultos que utilizam a Corrente Ofidiana preparando a consciência humana para o intercurso com habitantes de outras dimensões. Agora estes Centros estão surgindo como filiais em todos os principais países do hemisfério Ocidental. O próximo passo é estender a influência destas zonas de poder para o Oriente e isso gradativamente estamos conquistando. Isso não é uma tarefa tão difícil como parece à primeira vista. O Oriente é hoje uma incongruência constituída sobre a base opressora do comunismo e influenciada pelo catastrófico capitalismo, mas isso é uma importação ocidental, e como o fascismo, sua sombra é somente um dispositivo político temporário. O espírito natural do Oriente, em sua radicação mais profunda, está em completo acordo com a doutrina de Thelema. Isso pode ser provado comparando-se os objetivos básicos de Thelema com a maneira Chinesa do Caminho do Tao, a doutrina Vedanta Advaita, e a filosofia central do Tantrismo Hindu e Budista.

Os Tantras, em particular, alcançam seu total florescimento em Thelema, com sua ênfase na energia vital, espontaneidade e êxtase cósmico criativo intuindo através de exercícios de funções naturais libertos das restrições antinaturais. É neste aspecto da psique Oriental que Thelema faz o seu mais forte apelo, e pode ser através das afinidades Thelêmicas-Tântricas de Sociedades Secretas Hindus, Mongóis, Tibetanas e Chinesas que o poder libertador crescerá para estabelecer uma ligação nos planos sutis como Centros ou zonas de poder de Thelema. Quando esta união estiver finalizada, a humanidade poderá preparar-se para a completa expansão da consciência.


Kenneth Grant
Nightside of Eden, Apresentação. Skoob Books, 1994.
Aleister Crowley and the Hidden God, Capítulo 5. Skoob Books, 1992.

0 comentários:

Postar um comentário

Ola, seja bem vindo para comentar. Utilize o bom-senso, seja profundo.