sábado, 27 de fevereiro de 2016

O Rito de Amprodias



Fernando Liguori
Imagem por Jean Fries 


Faz o que tu queres há de ser tudo da Lei.


Amprodias é o gênio do Túnel que conecta as Qliphoth Thaumiel e Ghagiel. Seu Atu correspondente no Tarot é O Louco, cuja letra hebraica atribuída é Aleph e ao Elemento Ar. O Louco age irracionalmente e por isso sua realidade se apoia sobre fundações sem alicerces. O deus louco encanta com a melodia de sua flauta os deuses da razão que em seu sono profundo permitem que as vibrações hipnagógicas dos Poderosos Antigos emirjam dos golfos do espaço intersticial em que habitam, minando as bases sobre as quais a existência depende, retornando a criação do Caos primordial do qual ela surgiu.

A forma da letra Aleph lembra movimento: o raio (dorje), um dervixe dançando em êxtase, a energia criativa-destrutiva em sua forma mais crua, a vibração primordial que deu impulso a criação. Amprodias soma 401 e segundo Kenneth Grant, esse número associa-se ao azoth-or ou seu equivalente hebraico, as letras Aleph e Tav ao invés de Alfa e Ômega. Azoth é o fogo fluído que emerge como um gêiser da morada ctoniana de Amprodias. Amprodias é a força de destrói as fundações do universo objetivo, um impulso irracional e caótico que mina as estruturas da realidade objetiva como a percebemos.

A magia sexual é um portal de imersão aos reinos sóbrios da consciência, nossa sombra ou lado noturno. Ao imergir no reino das sombras, o magista descobre seu verdadeiro potencial e empoderado com seu conteúdo, o utiliza produtivamente. O trabalho com Amprodias requer um amadurecimento diante de nossas bases e estruturas.

O poder mágico conferido por este Túnel é a irracionalidade oracular.Ele é transmitido pela sacerdotisa em transe no estado de catamênio através da magia lunar do XI° O.T.O. A planta de poder associada a este Túnel é a Ayahuasca. Em operações sexuais envolvendo o décimo primeiro kāla de Amprodias a sacerdotia em estado de catamênio e sob o efeito da Ayahuasca deve bailar em loucura desenfreada. Trata-se de uma técnica de empilhamento de gnose. No estado de êxtase, a dança confere outro nível de gnose, aumentando a conexão da sacerdotisa com os golfos do espaço estelar. A dança do ventre é uma técnica muito poderosa, pois ela deslacra e desfaz o nó de brahmā no mūlādhāra-cakra. Enquanto este nó permanece intacto, a energia localizada nesta área permanece bloqueada. No momento do empoderamento da Śakti a sacerdotisa deve sentar-se sobre seu trono, ocasião em que emitirá oráculos por ambos os portais, a boca e a vagina. Este rito é conhecido nos tantras como o Beijo ou a Boca da Yoginī.

O Rito de Amprodias para magistas solitários
Estágio 1: Preparação
Prepare sua câmara de trabalho. Coloque o sigilo de Amprodias em um pequeno altar, logo a sua frente, de maneira que, sentado, possa visualiza-lo sem impedimentos.
O sigilo deve ser pintado em dourado dentro de um quadrado esmeralda.
Coloque duas velas pretas em candelabros sobre o altar. Coloque também sobre o altar um copo de água ou se preferir, abaixo dele, um pote de barro contendo água. Caso tenha um espelho mágico, ele pode ser usado ao invés do copo ou pote de água.
Por alguns minutos, com os olhos fechados execute respirações profundas e prolongadas. Apenas respire. Observe o fluxo da respiração sem interferir nele. Apenas observe. Seja uma testemunha do processo respiratório (pausa).
Estágio 2: Abertura da Kiblah
Levante-se. Assuma a forma divina de Hoor-paar-Kraat e execute o Sinal do Silêncio.
Execute o Sinal de Puella e diga: menina, o dragão.
Execute o Sinal de Puer e diga: menino, o leão.
Execute o Sinal de Vir e diga: homem, o boi.
Execute o Sinal de Mulier e diga: a mulher satisfeita.
Execute o Sinal de Mater Triunphans e diga: a mãe triunfante.
Execute o Sinal de Tifon e diga: Hórus salta três vezes armado do útero de sua mãe. Harpócrates, seu gêmeo está oculto dentro dele. Seth é a sua santa aliança, que ele revelará no grande dia de Maat.
Execute o Sinal da Caveira de Ossos Cruzados e diga: Que os Mestres da Sagrada Egrégora de Thelema e da Grande Fraternidade Universal possam me assistir neste momento, me inspirar com sua sabedoria e me proteger com seu amor, para que com eles eu possa me harmonizar e receber orientações através de minha intuição.
Execute o Sinal de Ísis a Mãe das Estrelas e diga: Ó, Grande Nuit! Senhora das Estrelas e do Espaço Infinito. Caminho eternamente sob e em teu corpo na travessia de meu deserto e no descanso de minha Alma. Neste momento, olho em tua direção e evoco Tua presença. AUMGN (3x).
Execute o Sinal da Torre de Seth e diga: Ó, Grande Hadit! Tu que és o Centro e o Coração do Sol. Tu que és todo o movimento, ardor e vida em meu corpo, pois tu és o adorador da mais alta Beleza da existência. Neste momento, olho em tua direção e evoco Tua presença. AUMGN (3x).
Execute o Sinal do Hórus Vingador e diga: Oh, Grande Hórus, místico Senhor da Cabeça de Falcão, do Silêncio e da Força, cuja nêmes cobre o céu azul noturno. Neste momento, olho em Tua direção e evoco Tua presença (3x).
Bata no sino: 3-5-3 e proclame: Faz o que tu queres há de ser tudo da Lei. Amor é a lei, amor sob vontade. A Palavra é Thelema.
Estágio 3: Abertura dos Portais de Daath
Execute o Ritual do Pentagrama e em seguida o Sinal de Proteção.
Estágio 4: Invocação de Amprodias
Sentado, frente ao altar, faça uma invocação silenciosa a Hoor-paar-Kraat e vibre os nomes bárbaros de evocação: IĒŌU, PUR, IŌU, IAŌ IŌ, ABRASAX, SABRIAM, EDE, EDU, ANLALA, LAI, GAIA, AEPE, DIAThARNA ThORON.
E então proclame:
SAZAZ SAZAZ ANDATSAN SAZAZ (11x).
Vibe: Amprodias na nota MI enquanto executa o VIII°(+) (homem) ou VIII°(-) (mulher).
Filho do Caos, o Jorro de Acheron, Senhor dos Poderes do Ar, eu abro teus portais.
Abra os olhos e fixe-os no sigilo de Amprodias.
Execute trāṭaka por alguns minutos (pausa).[1]
Neste momento, visualize um portal na cor violeta se abrindo a sua frente. Inspire elevando a consciência do mūlūdhāra até o ājñā-cakra através da suṣumnā-nāḍī e projete-se para dentro do portal (pausa).
Continue até que a projeção seja real.
Estágio 6: Encerramento
Gradativamente, recolha a consciência novamente no ājñā através da inspiração e a envie ao mūlādhāra-cakra através da expiração. Repita esse processo até que sinta que seu corpo está completamente consciente (pausa).
Levante-se, assuma a forma divina de Hoor-paar-Kraat e execute o Sinal do Silêncio.
Bata no sino: 3-5-3 e pronuncie: Abrahadabra, Thelema, Ipsos-Lam. Aumgn.


O Rito de Amprodias para casais
Estágio 1: Preparação
Prepare sua câmara de trabalho. Coloque o sigilo de Amprodias em um pequeno altar, logo a sua frente, de maneira que, sentado, possa visualiza-lo sem impedimentos.
O sigilo deve ser pintado em dourado dentro de um quadrado esmeralda.
Coloque duas velas pretas em candelabros sobre o altar. Coloque também sobre o altar um copo de água ou se preferir, abaixo dele, um pote de barro contendo água. Caso tenha um espelho mágico, ele pode ser usado ao invés do copo ou pote de água.
Por alguns minutos, ambos com os olhos fechados executem respirações profundas e prolongadas. Apenas respirem. Observem o fluxo da respiração sem interferir nele. Apenas observem. Sejam testemunhas do processo respiratório (pausa).
Estágio 2: Abertura da Kiblah
(Sacerdote):
Levante-se. Assuma a forma divina de Hoor-paar-Kraat e execute o Sinal do Silêncio.
(Sacerdotisa):
Execute o Sinal de Puella e diga: menina, o dragão.
Execute o Sinal de Puer e diga: menino, o leão.
Execute o Sinal de Vir e diga: homem, o boi.
Execute o Sinal de Mulier e diga: a mulher satisfeita.
Execute o Sinal de Mater Triunphans e diga: a mãe triunfante.
Execute o Sinal de Tifon e diga: Hórus salta três vezes armado do útero de sua mãe. Harpócrates, seu gêmeo está oculto dentro dele. Seth é a sua santa aliança, que ele revelará no grande dia de Maat.
(Sacerdote):
Execute o Sinal da Caveira de Ossos Cruzados e diga: Que os Mestres da Sagrada Egrégora de Thelema e da Grande Fraternidade Universal possam me assistir neste momento, me inspirar com sua sabedoria e me proteger com seu amor, para que com eles eu possa me harmonizar e receber orientações através de minha intuição.
(Sacerdotisa):
Execute o Sinal de Ísis a Mãe das Estrelas e diga: Ó, Grande Nuit! Senhora das Estrelas e do Espaço Infinito. Caminho eternamente sob e em teu corpo na travessia de meu deserto e no descanso de minha Alma. Neste momento, olho em tua direção e evoco Tua presença. AUMGN (3x).
(Sacerdote e Sacerdotisa):
Executem o Sinal da Torre de Seth e diga: Ó, Grande Hadit! Tu que és o Centro e o Coração do Sol. Tu que és todo o movimento, ardor e vida em meu corpo, pois tu és o adorador da mais alta Beleza da existência. Neste momento, olho em tua direção e evoco Tua presença. AUMGN (3x).
(Sacerdote):
Execute o Sinal do Hórus Vingador e diga: Oh, Grande Hórus, místico Senhor da Cabeça de Falcão, do Silêncio e da Força, cuja nêmes cobre o céu azul noturno. Neste momento, olho em Tua direção e evoco Tua presença (3x).
(Sacerdotisa):
Bata no sino: 3-5-3 e proclame: Faz o que tu queres há de ser tudo da Lei. Amor é a lei, amor sob vontade. A Palavra é Thelema.
Estágio 3: Abertura dos Portais de Daath
(Sacerdote):
Execute o Ritual do Pentagrama.
(Sacerdotisa):
Execute o Sinal de Proteção.
Estágio 4: Invocação de Amprodias
(Sacerdote e Sacerdotisa):
Sentados, frente ao altar, façam uma invocação silenciosa a Hoor-paar-Kraat e vibrem os nomes bárbaros de evocação: IĒŌU, PUR, IŌU, IAŌ IŌ, ABRASAX, SABRIAM, EDE, EDU, ANLALA, LAI, GAIA, AEPE, DIAThARNA ThORON.
E então proclamem:
SAZAZ SAZAZ ANDATSAN SAZAZ (11x).
Vibem: Amprodias na nota MI e depois: Filho do Caos, o Jorro de Acheron, Senhor dos Poderes do Ar, eu abro teus portais.
Abram os olhos e fixe-os no sigilo de Amprodias.
Executem trāṭaka por alguns minutos (pausa).
(Sacerdotisa):
Em gnose, a sacerdotisa começa a bailar sem direção, permitindo que o êxtase aumente sua vibração, possibilitando a liberação da kuṇḍalinī e o contato subsequente com as energias ou forças transmundanas do Túnel de Amprodias (pausa).
Sente-se sobre o Trono de Ísis.
(Sacerdote e Sacerdotisa):
O Sacerdote excita a sacerdotisa através do VIII°(2), aumentando o transe oracular (pausa).
A sacerdotisa não deve liberar o êxtase vaginal até que se torne um oráculo, quando ela deverá proferir mistérios pela boca. No fim, ela deve ser levada ao ponto de liberar o êxtase vaginal, quando irá proferir mistérios pela vagina.
(Não há cópula sexual nesse rito).
Estágio 6: Encerramento
(Sacerdotisa):
Gradativamente, recolha a consciência através do ājñā pela da inspiração e a envie ao mūlādhāra-cakra na expiração. Repita esse processo até que sinta que seu corpo está completamente consciente (pausa).
(Sacerdote):
Assuma a forma divina de Hoor-paar-Kraat e execute o Sinal do Silêncio.
Bata no sino: 3-5-3 e pronuncie: Abrahadabra, Thelema, Ipsos-Lam. Aumgn.


Amor é a lei, amor sob vontade.


Este texto é um trecho do livro «Gnose Tifoniana» (Vol. II), no prelo.



[1] Veja Curso de Filosofia Oculta (Vol. II).

0 comentários:

Postar um comentário

Ola, seja bem vindo para comentar. Utilize o bom-senso, seja profundo.