sexta-feira, 15 de abril de 2016

O Mago do Eterno



Faz o que tu queres há de ser tudo da Lei.


Interessante este momento que estamos chegando. Terça feira próxima, 19 de abril, o sol estará entrando na casa de Touro. Vênus, a deusa egípcia Hathor, regula Touro, enquanto que a Lua, Levanah, é exaltada. O Atu do Tarot referente é o Hierofante (Atu V). O título desse Atu é O Mago do Eterno e corresponde ao décimo sexto Caminho na Árvore da Vida.

O décimo sexto Caminho é a Inteligência Triunfal ou Eterna, assim chamado porque é o prazer da Glória, além da qual não existe outra Glória igual a ela, e que também é chamado de Paraíso preparado para os Justos.

O Caminho do Hierofante, Vav, estende-se de Chesed a Chokmah e é o Caminho mais elevado do Pilar da Misericórdia. Os documentos da Aurora Dourada dizem que ele é o Zodíaco atuando sobre Júpiter através de Touro, o que pode parecer simplista, mas é uma descrição bastante precisa. Esta é a ação de Chokmah, na qualidade de potencial espermático do universo manifestado, sobre a primeira manifestação. Chokmah é o Pai Superno e Chesed é o Pai na manifestação. Chokmah é o Yod do Macroprosopus; Chesed é o Yod do Microprosopus.

Assim, o Caminho de Vav é um poderoso Caminho masculino relacionado com Touro. Ele é Terra Fixa no Zodíaco, significando que se trata de uma base sólida. Aqui, nossa primeira definição deste Caminho, como um extremo estabilizador, é particularmente útil.

O Hierofante é o Caminho oposto a O Carro, o veículo (estabilização de extremos ativos/Água Cardeal) com o qual a Alma é transportada através do Abismo. O Hierofante é a estrada celestial por onde viaja O Carro; ele é o fundamento absoluto do processo de revelação e a sólida base de experiência entre o Supremo Eu Espiritual e o Ego de Tiphereth, do qual a memória é um aspecto.

A ideia de que O Hierofante está relacionado com a memória poderia ser considerada à luz do significado da palavra Vav, que significa prego ou gancho. Um prego junta coisas, unifica, sugerindo que uma função básica de O Hierofante consiste em ligar Microprosopus a Macroprosopus, ou seja, o Grande Universo à manifestação. Ele é a Inteligência Triunfal ou Eterna, por meio da qual tudo o que somos está ligado para sempre ao Espírito Divino. Essa consciência unificadora é descrita de diversas maneiras simbólicas, tais como: ela faz a ligação entre o Sol e a Lua ou entre o Acima e o Abaixo. Ela também está relacionada com o ensinamento, com aquilo que introduz as ideias superiores nos organismos inferiores. Em outras palavras, pode-se dizer que a energia inteligente que liga o puro espírito interior aos aspectos exteriores da manifestação é também a fonte da nossa compreensão a respeito desse espírito interior. Ele é a única fonte. O Hierofante é o único professor. Conforme diz o título esotérico da carta, ele é o Mago do Eterno.

Com relação ao uso da figura do Pontífice católico no Tarot, devemos compreender que até muito recentemente o esoterismo ocidental estava inextricavelmente ligado ao Cristianismo. Na época em que surgiram as cartas, a metafísica era simplesmente uma maneira de encarar uma determinada crença, a qual estava acima de qualquer questionamento enquanto sistema. Não havia alternativas viáveis. Assim, os grandes esoteristas ou eram sacerdotes católicos ou procuravam a aprovação da hierarquia católica para suas pesquisas. Podemos citar, por exemplo, a correspondência entre Henry Cornelius Agrippa e o abade John Trithemius, um grande humanista. O abade, ele próprio um ávido estudioso dessas questões e profundo conhecedor da cultura hebraica, respondeu cordialmente ao recebimento do livro Filosofia Oculta, escrito por Agrippa: o grande prazer com que recebo este livro nenhuma língua mortal pode expressar e nenhuma pena pode escrever. Nem o prelado nem o jovem filósofo ocultista foram condenados por suas obras, pois elas estavam efetivamente dentro dos limites aceitos pela doutrina católica. Assim, no entender dos criadores das cartas do Tarot, o uso da imagem do Papa para representar os mistérios das energias do Caminho de Vau, o Supremo Professor, era algo bastante razoável. Essa imagem era problemática apenas para aqueles que tentavam separar a Qabalah Hermética do Cristianismo da Idade Média, dentro do qual ela inquestionavelmente foi criada.

O livro O Rituais do Tarot abordará uma prática diária com cada carta do Tarot. Em breve.



Amor é a lei, amor sob vontade.

2 comentários:

  1. Concordo com o comentário acima.
    No aguardo desta obra. Muito esperada.

    ResponderExcluir

Ola, seja bem vindo para comentar. Utilize o bom-senso, seja profundo.